terça-feira, 15 de março de 2011

Das perdições


Fazia tempo que eu não sentia esta paixão doentia. Fazia tempo que eu não me sentia incendiar. Fazia tempo que eu não me permitia, ler nas mais diversas horas do dia, um livro novo querendo acabar, mas não querendo terminar....

É uma sensação sem igual.

Ando assim agora, seguindo um escritor morto, catando-o por aí, buscando-o incessantemente.

Sándor Márai, virou meu novo amor. E, não sei onde vai parar esta paixão, mas já li 3 livros e em cada um mais me encontro, mais me entrego, mais me deixo levar... 

Quero tudo, quero todos, não consigo sossegar...


3 comentários:

Juliana disse...

Não há paixão melhor de se viver, do que essa: um autor, seus livros. Pois, estas paixões não magoam apenas crescem e se superam a cada palavra lida. Beijos ;)

Noite em Claro disse...

É sempre assim: quando conhecemos algo novo, um autor que nos surpreende, ficamos meio que vidrados nele, queremos tudo!

Aconteceu comigo, com Harlam Coben: um cara que pode não ser lá muito inovador, mas seu estilo de escrita é fácil, ágil... Em menos de uma hora, eu já estava na metade dos livros, então terminava aquele e começava outro, e outro, e outro...

Continuo seguindo o blog, e espero o mesmo.

Abraços
www.temalgumacoisaerrada.blogspot.com

Ramon Alcântara disse...

Saudade desse sentimento, que se foi...