sexta-feira, 30 de abril de 2010

Melodia Sentimental


Eu queria ser muito mais musical. Queria ser uma estudiosa, uma devotada, uma arqueóloga de cifras e harmonias. Queria ser acordada diariamente por bémois e sustenidos. Mas, eu não sou. E, tenho certeza, nunca serei.

Não porque não queira, mas porque sinto, que este saber quase metafísico não está gravado no meu cordão umbilical, embora permeie minha mente e todos os meus sentidos constantemente.

Eu gosto de boa música, gosto de bons compositores, gosto de grandes cantores. E, por eles me guio e os sigo, por aí... para ver se em mim, brota mais conhecer. 

Villa-Lobos é um deles. Mesmo morto, mesmo posto, ainda o sinto vivo, tão presente quanto possível. E, quando me deito pra ver a lua, só a Melodia Sentimental é capaz de traduzir toda esta imensidão, toda esta perfeição, deste grande brasileiro.

Se você é um pouco como eu, se for mais ou se for menos, vamos nos encontrar na linda Casa de Francisca e juntos brindaremos, ao Maestro.


* * *

Em sua primeira viagem a Paris, em 1923, Villa-Lobos encontra uma cidade onde Debussy - uma de suas grandes inspirações - já não é mais vanguarda e artistas e intelectuais da efervescente capital francesa voltam seus olhos e ouvidos aos compositores russos - como Igor Stravinsky -, que fazem música original, moderna e de caráter nacionalista. Nesse espetáculo, o Projeto B explora as experiências de Villa-Lobos a partir de sua primeira ida a Paris e seu contato com a música de Igor Stravinsky. Yvo Ursini (guitarra, ruídos, arranjos e composição), Leonardo Muniz (sax alto, clarinete e composição), Vicente Falek (piano, sanfona, arranjos e composição), Amilcar Rodrigues (trompete, cornet e flugelhorn), Henrique Alves (baixo) e Maurício Caetano (bateria).

às 22h30

Casa de Francisca
R. José Maria Lisboa, 190 (Jardim Paulista )
Tel: (11) 3493-5717
R$ 26,00

Um comentário:

Alex disse...

Sinto-me exatamente assim! Órfão das notas musicais. Não entendo da matemática, dos códigos e dos símbolos da música. Quero apenas ouvir e sentir o som que sai dos aparelhos metafísicos. Afinal, porque entender Bach. Quero apenas a melodia de Deus e nada mais.