sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Memórias...

Foto arquivo pessoal: Praia Ecológica / BA - 23/12/2009


... de minhas putas tristes - Gabriel Garcia Marquez.

"No ano de meus noventa anos quis me dar de presente uma noite de amor louco com uma adolescente virgem. Lembrei de Rosa Cabarcas, a dona de uma casa clandestina que costumava avisar aos seus bons clientes quando tinha alguma novidade disponível. Nunca sucumbi a essa nem a nenhuma de suas muitas tentações obscenas, mas ela não acreditava na pureza de meus princípios. Também a moral é uma questão de tempo dizia com sorriso maligno, você vai ver. "

Em seu aniversário de 90 anos, um cronista , cujo vida foi desprovida de afeto, pelo medo de se entregar, pretende presentear a si mesmo com uma noite de amor louco com uma adolescente virgem. Porém, ao vê-la dormindo, não tem coragem de acordá-la e se apaixona pela garota adormecida.
É um livro curto (nem sei porque dou esta informação, talvez porque CEM ANOS DE SOLIDÃO, eu li em uma semana, em outra praia, em outros carnavais... e era um bloco emocional que fazia pesar cem quilos sob o peito quando eu me deitava na areia para viver entre os silêncios dos Buendía)...
Este dá pra ler até a quarta-feira de cinzas...

Faça como eu, passe um esmalte laranja bemmm fooorte, vermelho aberto mesmo, Garota Verão (coisa que nunca faço, pois sou básica e gosto de translúcidos) e leve o Memórias pra passear com você.
Escolha um canto que dê vista para o mar, proteja os olhos e a pele e deixe o peito aberto. Lembre-se que Marquez tem poesia nos vãos... e se deixe levar pela beleza dele.
Se o nome não te fez parar na Livraria (a mim fez, primeiro porque imaginei luxúrias mil e depois porque havia um tom nostálgico e de tristeza no título que me seduziu)... não te preocupa. Volta lá e leia um parágrafo inteiro, e se deixe encantar pelo moço antigo que levou seus pertences, para o canto da puta, para o quarto da virgem, pra poder amar...
É bonito o livro, bom pra começar o ano, pra repensar o sentido da vida e suas próprias escolhas.
Ouse... pinte as unhas de vermelho ...

2 comentários:

Wilson Torres Nanini disse...

Você desenhou uma imagem à Lady Gaga, com as unhas laranja levando o Memórias de minhas putas tristes para passear. Ah, Gabriel Garcia Márquez de longe é meu autor favorito, e Cem anos de Solidão se parece com o relato de minha infância vista de algum lugar do fim do mundo. Parece um rio me atravessando por dentro com seus rumores e segredos. Abraços!

Rodrigo . disse...

O livro é lindo! Curto em páginas, mas imenso no sentido à vida que ele nos proporciona sentir. Li, reli e recomendo, também.

Beijo.