sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Com luz e sem ilusão

Sim, li o livro. É claro, não deixaria de lê-lo. Faz tempo, anos, nem me lembro de alguns detalhes. Mas, de outros... parece que li o livro ontem.
Sim, assisti o filme. É claro, sou viciada em lugar escuro, tela gigante e coca-cola (porque suco de soja tem limite, tem que ter).
Do Meirelles ? Eu gosto, também assim... eu gosto. Dos atores convidados ? Ah, ruiva sempre tem mais charme, Julliane Moore, é uma mulher interessante e no papel da esposa, bem, foi legal (já assistiram o Exorcismo de Emily Rose ? então, aquela advogada... não sei não, acho que ela daria uma esposa perfeita...). O médico ? Eu detestei bem antes de vê-lo. Não, ele é um ator de hollywood que é ator em hollywood... é isto. Ah, Mark... sei não, por mim era não, e tava feito. Mas, ele estava bem, pelo seu tamanho, sem fundura, mas é isto aí... o importante é o livro!
Não, não chorei. Vejo todo mundo dizendo que chorou. E eu estou me sentindo estranha, incomodada, até coceira tô sentindo (porque geralmente eu choro até com comercial do Cartoon). Mas, eu não me senti triste, eu não senti vontade de vomitar, eu não senti raiva, eu não senti dor nenhuma. Cega, talvez eu estivesse quando assisti o filme.
Começo a crer que a cegueira ultrapassou o limite da ficção e me tomou de assalto. Claro, não é possível! Eu me comovi mais vendo o Saramago assistindo o filme, do que vendo o filme que fez o Saramago se emocionar.
Fui tomada pela cegueira branca, Borges era ficção, minha cegueira é de verdade.
Devo estar pior do que imagino, achei que estava chata com a literatura, bem vejo que estou ficando péssima com o cinema. Adorei aquela mocinha do filme Juno... quanto a Alice Braga... ai moça bonita , os peitos da Sônia Braga eram mais... perfeitos.
Que chata que sou, que estou. Enquanto todos choram, eu estou aqui, a reclamar de elenco. Dublê Mike (já assistiram o filme do Tarantino que tem este personagem ?). Não, o filme é uma porcaria, mas o dublê Mike... meu deus, o dublê Mike arrasa!
Gael Garcia Bernal... pessoalmente eu gosto muito de moço e acho que estava excelente no papel que lhe coube... "i just call to say... i love you..."
Então, eu acho que o Meirelles acertou quando fez o filme. Quem é que queria, a esta altura da vida, uma adaptação de uma obra do Saramago que fosse melhor que a própria obra ? Eu é que não! Pra mim, Lavoura Arcaica, já me basta e Raduan nem sequer foi arranhado. Filme e livros ótimos: imperdíveis, inesquecíveis e quase inimagináveis.
Ah, quanto ao Ensaio sobre a Cegueira o Meirelles fez um filme redondinho, bonitinho, todo certinho e com ótima solução visual pra tal cegueira. Acertou a mão, negão!
Mas, eu... que me sinto uma pessoa comovível... não chorei...

Um comentário:

Garfo Sem Dentes disse...

... e eu ainda não assisti,
nem lí...

mas irei assistir,
depois ler,

:D