segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Dor Nenhuma

Do cd, Òpera do Rinoceronte, Madan e Ademir Assunção - Noite e Dia
A literatura tá um pouco chata. Parece que virou uma senhora de óculos de aro grosso, vestida num robe roxo, com pantufa de coelho que não quer sair de casa para incomodar ninguém.
A literatura tem que sair pra rua, tem que bater na tua cara e tem sim que incomodar, e incomodar muito, mas muito mesmo. Porque é destes sentimentos arrasadores que vemos florescer a grandiosidade das palavras e dos bons autores.
Um bom autor não pode usar peruca pra sair na rua, nem andar de pantufas para não fazer barulho em casa... um bom autor tem que te derrubar, seja pela delicadeza de um haikai seja por um golpe de LSD Nô.
No cenário atual, poucos autores batem na minha porta e me causam estragos. Digo estragos, no sentido de me fazer questionar mundo, letras e pensamentos antigos. De querer ler e não mais parar, de querer botar uma música e passar a tarde grudada num sofá... grifando, gritando, fechando páginas no peito, fechando os olhos pro mundo girando lá fora.
Ando chata com a literatura, ando careta e carente de novos rumos.
Os antigos continuam na estante, Kafka, Marques, Cortázar, Caio Fernando, Clarice aos montes. Os atuais, superlotam meu baú. Mas, poucos me impactam, poucos são realmente geniais.
Literatura não pode ser feudal, tem que ser universal.
Dos vivos, hoje Ademir Assunção é um cara para ser lido. Memorável em sua ira, não deixa escapar nada. Não é de fazer piadas e gosta mesmo de contar verdades que muitos preferem não dizer. É multimídia, pai do super-menino e de uma super-mocinha com nome de índia, dono de uma escrita cortante, com poesias densas que parecem aflorar da pele e com letras e parcerias inesquecíveis. Performático, apronta Rebeliões na Zona Fantasma e uiva como um Coyoite na escuridão.

Para conhecer mais , visite o ESPELUNCA : http://zonabranca.blog.uol.com.br/

2 comentários:

Ademir disse...

Poxa, Sonia: suas palavras me pegaram num dia em que estou especialmente desanimado. Muito bom ler isso. Muito bom saber que o que eu faço significa tudo isso pra você. Beijo.

: A Letreira disse...

Ademir, teu blog é um dos melhores da atualidade. Nele, tem músicas, letras, vida e um monte de matérias pra arrepiar os cabelos. Eu torço para que o teu Espelunca e a Pele de Lontra (do Cláudio) permaneçam no ar por muito tempo. São blogs que estão acima do bem e do mal e nos acrescentam muitas coisas pra discutir e pensar... Bye, Sô.