sábado, 8 de maio de 2010

Invenção dos Dias



Bethânia lembra minha tia antiga que fez 70 anos esta semana (03/05): MARIA DA INVENÇÃO.

Para nós, os sobrinhos, ela sempre foi a Tia Vença. E, sempre gostou mais do Sidinho (meu irmão, que só as tias chamam assim e ele deixa) do que de nós. Ela quando te olha é capaz de dizer se você está com quebranto ou mau-olhado e abre a boca sem parar de 3 a 10 vezes, já sabendo que uma ave-maria tem que rezar. 

Pega um galhinho de arruda, que tem no quintal, e sacode sobre você espantando o azar.

É uma Tia miúdinha, esta Maria da Invenção. E, todo mundo acredita nela, porque ela tem aquela força antiga que só as mulheres da terra são capazes de ter.

Sei que quando a encontro me sinto muito mais feliz, embora não a encontre tanto quanto gostaria.

E se olho grande, inveja e quebranto existem eu não sei. Mas, que é gostoso ficar debaixo da arruda da minha Tia querida... ah, isto é!


4 comentários:

Rodrigo disse...

Talvez a sua tia, seja um poema vivo, que se utiliza do cuidado à vida para se aproximar do sabor humano - que se dá no cuidado, a protegendo.

Lindo!
Bjos

Juan Moravagine Carneiro disse...

Você falando dela...me lembrei das minhas vós...

...saudades delas agora...rsr...e da minha infância!

Adriana Karnal disse...

Sônia,
essa tia todos mundo tem uma..rsrsrs

: A Letreira disse...

Gente, e não é que é ? Quem não tem uma tia igual a minha ?